Calvin e Haroldo, o poder da imaginação






imgres

Com a decadência dos jornais, o espaço para os quadrinhos diários foi reduzido. O último grande do gênero foi Calvin and Hobbes, criação do cartunista Bill Watterson. Algo se perde na tradução de Hobbes para Haroldo, pois o nome dos personagens remetem às figuras históricas de João Calvino e Tomas Hobbes. Do primeiro, o garoto de seis anos Calvin herdou o desejo de reformar o mundo; do segundo, o tigre de pelúcia Haroldo herdou um certo pessimismo em relação à natureza humana.


Calvin é um garoto normal, mas com uma vívida imaginação que o leva a viver uma vida paralela que volta e meia se choca com o mundo real, rendendo alguns dos melhores momentos da série.  Haroldo ,seu tigre de pelúcia, que ganha vida de forma antropomórfica, apenas quando está sozinho, é seu alter ego e sua consciência. O menino vive em um mundo que não consegue compreender e, apesar de ser um péssimo aluno na escola, expressa  um pensamento complexo, com profundos diálogos com Haroldo. 


 Bill Watterson escreveu de 1985 a 1995  e pronto. Não deixou sua obra envelhecer ou perder qualidade; não permitiu o licenciamento de produtos, pois violaria o próprio espírito das tiras__ em diversos momentos Calvin critica o consumismo do mundo moderno. O resultado foi um cult instantâneo.


O Mundo Mágico foi o primeiro lançamento da Conrad  da obra completa de Watterson. infelizmente, não está na ordem de publicação, o que nos impede de apreciar a evolução dos personagens. No entanto, a qualidade dos quadrinhos está lá, com arcos brilhantes como a procrastinação de Calvin em fazer seu dever, o jogo de calvinbol com a babá, suas reflexões sobre sentido da vida e sobre a modernidade. 


Calvin e Haroldo possuem um senso de autenticidade que dá brilho a suas tirinhas, ao mesmo tempo que realça o papel da imaginação em nossas vidas como necessidade até mesmo para preservar nossa sanidade. No entanto, nada disso funcionaria sem o humor ao mesmo tempo acessível e refinado de Watterson. As tiras são, acima de tudo, divertidas. É a base para qualquer quadrinho de humor ser visto. Se Calvin e Haroldo nos levam além é porque Watterson foi talentoso como apenas os grandes artistas são.



© MARCOS JUNIOR 2016